Med é pop

blog voltado para quem gosta de medicina e cultura...com temas do momento

medepopers

med é pop e esta também no:

30 de mar de 2013

Refrigerante faz mal à saúde : 180 mil mortes por ano provam!

Refris são ligados a 180 mil mortes por ano


NEW ORLEANS - Um grande estudo epidemiológico relatórios internacionais que beber grandes quantidades  de bebidas açucaradas foi associado com um aumento do índice de massa corporal (IMC), que por sua vez estava ligado com o IMC relacionados mortes por diabetes, doença cardiovascular (DCV), e câncer.
Especificamente, os pesquisadores descobriram que, em 2010, 132 mil mortes por diabetes, 44.000 mortes por doenças cardiovasculares, e 6.000 mortes por câncer no mundo poderiam ser atribuídas a beber adoçadas com açúcar refrigerantes, suco de frutas ou bebidas esportivas.

O estudo de Gitanjali Singh, PhD, da Harvard School of Public Health, Boston, Massachusetts, e colegas, foi relatado em EPI | NPAM 2013 Epidemiology and Prevention/Nutrition, Physical Activity and Metabolism 2013 Scientific Sessions.

"É um [surpreendente] grande número de mortes - dezenas de milhares de mortes - que estão sendo causados ​​pelo consumo de bebidas açucaradas," Dr. Singh comentou à Medscape Medical News . Três quartos destas mortes foram relacionadas com IMC de diabetes, o que "sugere que limitar a ingestão de bebidas açucaradas, é um passo importante na redução de óbitos por diabetes", observou ela.

"Batalha perdida" para mudar os hábitos do paciente, Políticas Públicas


O estudo reforça a necessidade de médicos para encorajar os pacientes a beber menos bebidas açucaradas, o Dr. Singh. Além disso, mesmo que "certamente é uma batalha difícil [para mudar a política pública] - é uma que ... médicos, cardiologistas, de saúde pública cientistas, [e] os políticos ... realmente precisa para defender e mostrar apoio", observou .

Como parte do Global Burden of Disease estudo, os pesquisadores obtiveram dados de 114 estudos nacionais sobre dieta, o que representa mais de 60% ​​da população do mundo.

Com base em dados de grandes estudos de coorte prospectivos, eles determinaram como as mudanças no consumo de bebidas açucaradas afetados IMC, e no próximo, como IMC elevado afetada DCV, diabetes, obesidade e 7 cânceres relacionados (mama, útero, vesícula biliar, esôfago, colo-retal, rins e, de câncer pancreático). Usando dados da Organização Mundial de Saúde, calcularam o número de mortes de IMC relacionado com doenças cardiovasculares, diabetes e câncer para os homens e para as mulheres de 20 a 44, 45 a 64, e 65 anos e mais velhos.

Consumo de açúcar, bebida média variou tremendamente - de menos de 1 bebida (8 oz) por dia em mulheres idosas chinesas para mais de 5 bebidas (40 onças) por dia em mais jovens cubanos.

A maioria das mortes (78%) de excesso de bebidas açucaradas estavam em países de baixa e média renda.

O México, que tem uma das maiores taxas do mundo per capita de beber bebidas adoçadas, teve o maior número de mortes relacionadas a este fator de risco: 318 mortes por milhão de adultos.

Em contraste, o Japão, com uma das menores taxas per capita de absorver estas bebidas, teve o menor número de mortes atribuíveis a este fator de risco: cerca de 10 mortes por milhão de adultos.

Em 2010, a beber bebidas adoçadas com açúcar estava associado com sobre:


38.000 mortes por diabetes na América Latina e países do Caribe.


11.000 mortes por doenças cardiovasculares no Oriente e Central-Eurásia países.


25.000 mortes nos Estados Unidos.

"Bebidas adoçadas com açúcar são a principal causa de mortes evitáveis ​​por doenças crônicas, não só em países de alta renda, mas também em países de baixa e média renda", conclui o grupo.

Bottom Line: Aconselhe os pacientes a evitar bebidas açucaradas

"A base de evidências de que bebidas adoçadas com açúcar está associada ao ganho de peso em excesso é bem estabelecida, o que esses pesquisadores têm feito é dar um passo além, dizendo que o excesso de peso que é atribuível a bebidas açucaradas na verdade aumenta o risco de morte por diabetes, doenças cardiovasculares e câncer, "American Heart Association (AHA) o porta-voz de Rachel K. Johnson, PhD, da Universidade de Vermont, Burlington, comentou.

Pontos fortes do estudo incluem o seu alcance grande, mas desde que foi um estudo epidemiológico, não demonstrar causa e efeito, Johnson observou. No entanto, "é certamente um [biologicamente] associação plausível, e devemos levá-la a sério", acrescentou.


Segundo o Dr. Johnson, "A linha inferior é para [aconselhar os pacientes a] evitar bebidas adoçadas com açúcar, [pois] temos mais e mais evidências de que não é uma boa escolha."

É "particularmente problemática" que os mecanismos de saciedade não chutar com bebidas da mesma maneira como acontece com os alimentos sólidos. "Se você tem uma bebida açucarada às 4 horas, você não é tão provável a cortar o que você come para o jantar da mesma maneira que você faria se você tivesse um lanche de alimentos sólidos às 4 horas, ", ela disse.

A AHA recomenda que os adultos não ultrapassam 450 calorias (36 oz) por semana de bebidas adoçadas com açúcar. Em uma declaração de posição declaração 2012 , a AHA ea American Diabetes Association afirmou que não nutritivos adoçantes artificiais podem ser uma ferramenta para ajudar as pessoas a reduzir o açúcar adicionado e ingestão de calorias, desde que eles não comem as calorias extras para compensar as calorias inferiores em as bebidas dietéticas.

Os autores não declararam relações financeiras relevantes.
EPI | NPAM 2013. 19-22 março de 2013. Resumo MP22.

.......... Deixe seu comentário ..........

Postagens populares

conteúdo protegido!não copie !

Protected by Copyscape Online Copyright Checker